MONTEZ MAGNO

Montez Magno de Oliveira (Timbaúba PE 1934). Pintor, escultor, artista intermídia, escritor e ilustrador. Estuda desenho e pintura, entre 1953 e 1966. Em 1957, realiza sua primeira exposição individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil, em Recife. A partir de 1960, publica artigos e pesquisas sobre arte em jornais brasileiros. Torna-se bolsista do Instituto de Cultura Hispânica entre 1963 e 1964, o que lhe permite viajar por vários países da Europa. Com o Prêmio recebido no I Salão Global do Nordeste, viaja para Europa e Argélia a estudos em 1975. De volta ao Brasil, leciona escultura na Universidade Federal da Paraíba. Ilustra o livro O Diabo na Noite de Natal, de Osman Lins, e vários livros de sua própria autoria.

Ao longo das últimas seis décadas, a obra de Montez Magno tem se desdobrado por entre múltiplas linguagens e interesses. Com uma trajetória que se firma no momento histórico em que, no Brasil, se efetiva a passagem dos paradigmas da arte moderna àqueles da arte contemporânea, Montez Magno faz parte de uma geração que, mesmo enfrentando dificuldades políticas nos anos 1960/70, consegue dedicar-se a reler a modernidade e traçar outros caminhos às suas encruzilhadas. Sua obra é atravessada por investigações iniciais no campo da abstração e por experimentações posteriores – objetos, propostas, projetos arquitetônicos, poesia visual, dentre outros -, bem como é preenchida por poesia.

Montez é representado pela Galeria Pilar e apresenta na 55SP, no projeto Dissonante duas obras: Notassons e Cromassons



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MONTEZ MAGNO

Montez Magno de Oliveira (Timbaúba PE 1934). Pintor, escultor, artista intermídia, escritor e ilustrador. Estuda desenho e pintura, entre 1953 e 1966. Em 1957, realiza sua primeira exposição individual no Instituto dos Arquitetos do Brasil, em Recife. A partir de 1960, publica artigos e pesquisas sobre arte em jornais brasileiros. Torna-se bolsista do Instituto de Cultura Hispânica entre 1963 e 1964, o que lhe permite viajar por vários países da Europa. Com o Prêmio recebido no I Salão Global do Nordeste, viaja para Europa e Argélia a estudos em 1975. De volta ao Brasil, leciona escultura na Universidade Federal da Paraíba. Ilustra o livro O Diabo na Noite de Natal, de Osman Lins, e vários livros de sua própria autoria.

Ao longo das últimas seis décadas, a obra de Montez Magno tem se desdobrado por entre múltiplas linguagens e interesses. Com uma trajetória que se firma no momento histórico em que, no Brasil, se efetiva a passagem dos paradigmas da arte moderna àqueles da arte contemporânea, Montez Magno faz parte de uma geração que, mesmo enfrentando dificuldades políticas nos anos 1960/70, consegue dedicar-se a reler a modernidade e traçar outros caminhos às suas encruzilhadas. Sua obra é atravessada por investigações iniciais no campo da abstração e por experimentações posteriores – objetos, propostas, projetos arquitetônicos, poesia visual, dentre outros -, bem como é preenchida por poesia.

Montez é representado pela Galeria Pilar e apresenta na 55SP, no projeto Dissonante duas obras: Notassons e Cromassons



2 respostas para “MONTEZ MAGNO”

  1. Ivi disse:

    Ele tem um trabalho incrível mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0